Saiba como proteger a saúde auditiva na rotina do home office

 

Saiba como proteger a saúde auditiva na rotina do home office

03
dez

A pandemia do novo coronavírus trouxe inúmeros desafios, e um deles foi se adaptar ao home office. Isso porque nem todos têm à disposição um ambiente projetado para o trabalho, sem barulhos e incômodos, o que acaba prejudicando nossa saúde auditiva.

Em muitos casos, é preciso dividir o ambiente de trabalho “caseiro” com a família inteira: o cônjuge, as crianças e as aulas on-line, o animal de estimação correndo pra lá e pra cá, o barulho dos carros na rua, reformas no apartamento do vizinho que chegam sem avisar, ou seja, ruídos sem fim.

As reformas em plena pandemia também contribuem para atrapalhar a rotina no home office

Segundo o otorrinolaringologista do Hospital Otorrinos Curitiba, Dr. Neilor Fanckin Bueno, os ruídos estão por toda parte e o isolamento social parece ter potencializado sons antes despercebidos.

“A pandemia obrigou muitas pessoas a levaram o escritório para casa, e no ambiente de home office os barulhos se tornaram mais perceptíveis. Dependendo do grau, os ruídos podem causar prejuízos à audição, e um dos principais sintomas pode ser o zumbido“, alertou o especialista.

Em alguns casos, para “abafar” os barulhos externos e aumentar a concentração no home office, muitos fazem uso do fone de ouvido, mas se usados de forma incorreta, podem trazer sérios prejuízos à audição.

“O fone de ouvido tem sido um vilão cada vez mais presente, principalmente neste isolamento social, porém os problemas causados pelo seu mau uso tendem a aparecer alguns anos mais tarde, o que faz com que os jovens não percebam a gravidade do uso incorreto deste aparelho”, lembrou Neilor.

Sintomas da perda auditiva

Inicialmente, o principal sintoma da exposição excessiva a volumes intensos é o zumbido. “Isso ficava bem evidente quando íamos a um show ou a uma festa, por exemplo, onde a música estava muito alta. No outro dia, se ficássemos com um zumbido agudo e aquela sensação de orelha cheia ou abafada, era sinal de que tivemos algum grau de lesão nas células da nossa cóclea”, alerta Neilor.

A perda de audição propriamente dita se dará com o passar do tempo e com a exposição cumulativa, principalmente se o paciente tiver uma predisposição para a perda auditiva.

Fones de ouvido: use com moderação

Se o fone de ouvido já era um amigo inseparável para muita gente antes da pandemia, agora, no home office, é mais que essencial. Isso porque muita gente se concentra melhor ouvindo música ou podcasts, e em muitos casos, sem perceber, deixa o volume muito alto, causando prejuízos à audição.

Os fones de ouvido, se usados de forma errada, podem prejudicar a audição.

“Para evitar problemas futuros, saber usar o fone de ouvido é parte fundamental no processo de cuidado com os ouvidos. O ideal é utilizá-los em um volume médio e evitar ficar por horas com o fone sem dar um descanso. Aconselhamos uma espécie de ‘repouso auditivo’: 15 minutos de descanso a cada 1h utilizando o fone, evitando, assim, possíveis lesões”, orienta o especialista.

Tratamento

Quando a perda auditiva for identificada, é importante avaliar suas principais causas e manter acompanhamento médico. “Em relação à perda de audição por exposição a ruídos, ela tende a se estabilizar se o paciente não se expuser mais a sons abusivos. No entanto, é extremamente importante manter um acompanhamento médico periódico para termos certeza que não há outra causa de perda de audição associada”, finaliza Neilor.

Veja também:
:: Por que temos sujeira ou ‘meleca’ no nariz?

:: Catarro preso na garganta: quais as principais causas?

Serviço:

Hospital Otorrinos Curitiba

Rua Doutor Roberto Barrozo, 1381, 1º andar – Mercês

Telefone: (41) 3335-0302

Horário de atendimento: diariamente, das 8h às 20h.

Otorrinos Pinhais

Endereço: Avenida Jacob Macanhan, 93 – Centro Médico Pinhais

Horário de atendimento: segunda a sexta, das 8h às 17h

Telefone: (41) 3732-2009

Site: www.otorrinoscuritiba.com.br

Instagram: www.instagram.com/otorrinoscuritiba/

Facebook: www.facebook.com/OtorrinosCuritibaPR/

Diretor Técnico do Hospital Otorrinos Curitiba: Dr. Ian Selonke – CRM-PR 19141 | Otorrinolaringologia


 

 

 

A GD Assessoria Médica é comandada por Geziane Diosti, jornalista formada pela PUC-PR, com mais de dez anos de experiência profissional na área de comunicação, em especial assessoria de imprensa, produção de conteúdo para sites, mídias sociais e comunicação corporativa. Já teve passagens pelo Grupo RBS como redatora dos portais hagah, Guia da Semana e ObaOba, além de Kakoi Comunicação, M&C Comunicação e e-governe.

Categorias

Últimas Notícias

A mudança te muda
Minha mãe é supermetódica: tudo tem que ser do jeito que ela planejou, às vezes com horas, dias ou até…
Atraso na consulta médica: é possível melhorar isso?
Oi doutor(a), tudo bem? Quem nunca se atrasou para um compromisso que atire a primeira pedra – ou rasgue o…
Por que contratar uma assessoria de imprensa?
Oi doutor(a), tudo bem? Entra ano, passa ano, o curso de Medicina continua sendo um dos mais concorridos dos vestibulares…